profissionais de seo precisam saber programar

Profissionais de SEO precisam saber programar?

Como um profissional de SEO, sua função invariavelmente o levará a interações com pessoas em uma ampla variedade de funções, incluindo proprietários de negócios, gerentes de marketing, criadores de conteúdo, construtores de links, agências de RP e desenvolvedores.

Estes desenvolvedores principalmente, podem ser engenheiros de software, codificadores, programadores, desenvolvedores front-end e back-end e profissionais de TI de vários tipos. Essas são as pessoas que escrevem o código e / ou geralmente gerenciam as várias tecnologias da web que compõem e fazem os sites funcionarem.

Em sua função como SEO, pode ou não ser praticável para você dominar completamente as linguagens de programação, como C ++ e Java, linguagens de script, como PHP e JavaScript, linguagens de marcação, como HTML, XML ou a linguagem de folha de estilo CSS .

Além dessas, há muito mais linguagens de programação, script e marcação por aí e o objetivo de maneira alguma é se tornar um especialista em todo tipo de linguagem, até porque essa não é a finalidade da função do SEO, mas sim do programador.

Mas, é essencial para você, como profissional de SEO, entender as várias linguagens e tecnologias que compõem a web em que você está trabalhando. Quando você está fazendo recomendações, que os desenvolvedores provavelmente irão executar, você precisa entender sua mentalidade, seus pontos fracos, como é o seu trabalho e ser capaz de falar a língua deles.

Saber programar em SEO, se refere principalmente a algumas poucas linguagens web que são as mais comumente utilizadas em desenvolvimento de sites na maior parte dos cenários atuais.

Isso significa entender a estrutura e a lógica principalmente de linguagens como HTML, CSS e Javascript, não para construir um site do zero, mas para conseguir identificar, analisar e implementar oportunidades com facilidade e rapidez.

Acredito que o cenário ideal para qualquer profissional de SEO é conhecer o básico sobre:

  1. Como a Internet funciona – endereço IP, TCP / IP, HTTP / HTTPS, DNS, TLS, etc.
  2. Como funciona o mecanismo de pesquisa – entidades, rastreadores da web (searchbots), sitemap.xml, robots.txt, algoritmo de pesquisa, índice de pesquisa, indexação, etc.
  3. Como funcionam os sites – HTML, CSS, JS, PHP, etc.

Como você atua dentro de SEO?

Um profissional de SEO pode atuar de diferentes maneiras como oferecendo consultoria, freelance, in-house ou dentro de alguma agência especializada, cada cenário vai exigir um perfil diferente e uma necessidade maior ou menor de conhecimento de algumas linguagens de programação.

Qual é o tamanho da empresa onde você trabalha ou do cliente que você atende? Caso você trabalhe como consultor ou freelancer e ofereça serviços para clientes pequenos, esses clientes nem sempre dispõe de uma equipe altamente bem estruturada com desenvolvedores de ponta que irão realizar as implementações necessárias.

Caso você não tenha conhecimento em programação, isso geralmente exige que seja necessário contratar desenvolvedores terceirizados para realizar correções realmente simples e fundamentais de código que irão ocasionar em um aumento do custo do seu serviço.

Nem sempre isso é uma opção e se você tivesse esse conhecimento poderia estar colocando esse custo adicional no bolso por exemplo.

Já nas atuações in-house, no caso de empresas maiores, é provável que elas já irão dispor de equipes para executar correções simples e avançadas de código, mas então, o desafio é você conseguir se relacionar com esses profissionais e conseguir falar a mesma língua que eles para evoluir rápido nas implementações.

E se você decidir iniciar seu próprio projeto? Você vai ter toda essa estrutura de desenvolvedores e profissionais de B.I de imediato ou terá que se virar por conta própria? E quando acontecer algum problema técnico com seu projeto, você pode contratar esses profissionais para te auxiliar?

Porque o conhecimento em programação é uma vantagem competitiva dentro do SEO?

Como SEOs, estamos constantemente trabalhando com desenvolvedores para implementar nossas recomendações. Entender por que eles tomam certas decisões e como pensam é realmente fundamental para trabalhar melhor com eles.

Se você se deparar com problemas graves de código que afetam a performance do seu site, você vai conseguir redigir e fornecer a seu desenvolvedor uma documentação técnica para que ele consiga corrigir o problema ou irá simplesmente demandar que ele descubra tudo sozinho?

Todas essas conversas serão mais fáceis se você puder oferecer insights construtivos no lugar de apenas demandas.

Entender como programar torna você um melhor SEO técnico.

Entender a construção de sites e como eles funcionam realmente ajuda você a levar seu SEO para outro nível.

Conforme esse artigo redigido por Himanshu Sharma fundador da Optimize Start, existem diversos benefícios em aprender a programar se você for um profissional de SEO, como:

1. Automação

Como SEOs, às vezes acabamos executando tarefas muito repetitivas, e ser capaz de reduzir o tempo gasto para fazer essas tarefas repetitivas abre a oportunidade de focar mais na estratégia e em outras coisas que você não pode deixar para a automação.

Este problema pode ser qualquer coisa, desde automatizar / acelerar determinada parte do seu processo de extração de dados para análise por meio de APIs até a construção de uma ferramenta personalizada que pode realizar tarefas como Data Scrapping ou manipular dados de acordo com a forma desejada.

Com as expressões regulares (REGEX) por exemplo, é possível construir e implementar leituras avançadas dentro de diversas ferramentas como o Google Data Studio, Analytics, GTM dentre outras e extrair grandes quantidades de dados com somente 1 linha de comando, poupando muito tempo e esforço.

Faça coisas que são impossíveis de fazer manualmente: lidar com grandes quantidades de dados, repetir processos tediosos, mesclar tabelas, importar dados de fontes diferentes e por ai vai…

Tudo isso (lidar com várias fontes de dados, automação, produtividade e fazer coisas que você simplesmente não pode fazer manualmente) significa que você pode ter mais tempo para se concentrar em questões estratégicas de análise, insights e estratégia, em vez de se preocupar com operações detalhadas de baixo nível como mesclar duas tabelas ou rastrear alguns milhares de páginas.

2. Análise Investigativa e competitiva

Existem diversas práticas de black hat que muitas empresas fazem sem saber ou passam por consultorias inexperientes que deixam rastros de códigos maliciosos nos sites das empresas. 

Como um SEO experiente e técnico cabe a você conseguir identificar esses rastros e corrigi-los.

Apesar do Google ficar cada vez mais humano, ele ainda se limita a ler códigos fontes das páginas para tomar suas decisões, isso significa que é possível identificar diversas oportunidades através da investigação de como são construídos os códigos das páginas de seus concorrentes.

3. Construção de scripts para marcação de dados schema (JSON-LD)

A estrutura da marcação de dados mais utilizada do momento é formada a partir de um código de javascript

Muitos desenvolvedores ainda não conseguem montar scripts completos e funcionais de JSON-LD, e caso uma vírgula esteja fora do lugar, boa parte do seu código poderá ser anulado e você simplesmente não estará usufruindo da marcação de dados e não terá uma vantagem de performance nas buscas.

Mas existem diversos plugins de schema hoje no mercado como o Yoast ou RankMath por exemplo, certo? Pra que alguém precisaria escrever manualmente?

A resposta é simples, os plugins que estão disponíveis hoje, conseguem executar somente tarefas básicas, e muitas vezes sequer funcionam. A biblioteca de marcações Schema é gigantesca, existem combinações entre essas bibliotecas abrindo uma quantidade gigantesca de possibilidades estratégicas…

Os únicos plugins que conseguem chegar mais perto de oferecer uma solução completa são pagos e extremamente caros, saber implementar essas soluções manualmente consegue trazer uma economia significativa para o projeto, permitindo investir em soluções mais necessárias.

4. Elevar o nível da sua análise de Dados

A Maior parte do tempo e das tarefas de um SEO são destinadas para análise de dados tanto interna quanto competitiva.

Como profissionais de marketing, estamos nadando em um mar de dados. Existem profissionais que trabalham com centenas de milhões de linhas de dados. Utilizar uma linguagem de programa como R ou Python é uma maneira de lidar com uma quantidade de informações massivas que ferramentas mais simples como o Excel não permitem.

Jean-Christophe Chouinard Sr SEO em Melbourne – Austrália criou um programa completo de Python para SEO onde ele reúne tudo que alguém que está começando a programar em Python e tem vontade de trazer isso para a realidade de SEO precisa saber.

No guia completo de Python para SEO, é possível ter uma perspectiva do porque você deve aprender Python, como aprender além de uma série de funções e programas já desenvolvidos pela comunidade para realizarem desde auditorias técnicas até extração e análise de dados.

5. Gerenciar e implementar tags de analytics

Hoje o Google Tag Manager consegue implementar a maior parte das tags sem precisar ver 1 linha de código, porém para implementar e construir tags avançadas, muitas vezes não existem códigos prontos (como o facebook pixel ou google analytics) para os eventos que você quer medir dependendo da ferramenta que a empresa quer implementar.

Entender de javascript é essencial para poder analisar o disparo de eventos no data layer (camada de dados) para funções de Enhanced E-commerce por exemplo.

É importante também conseguir inserir os disparadores de eventos nas páginas e avaliar o motivo de não estarem disparando corretamente.

6. Alfabetização e diferencial no mercado

Está se tornando muito mais comum em países como os Estados Unidos aprender a programar na escola primária. Portanto, ao aprender a programar, você fica em pé de igualdade com as crianças do mundo todo, pessoas que podem entrar no mercado de trabalho no futuro.

A barreira para aprender a programar é relativamente alta, nem todos tem a capacidade de aprender a programar ou a intenção de fazer isso. Não se aprende a programar em 1-2 semanas apenas lendo alguns artigos ou livros, então quando você consegue realizar esse feito, se diferencia na sua carreira, entre seus concorrentes e também na sua indústria.

Você não precisa se tornar um desenvolvedor, mas é recomendado que você pelo menos entenda os conceitos e a lógica por trás da programação.

Uma vez desenvolvida essa habilidade, você obtém a capacidade de automatizar tarefas e realizar diversas análises em muito menos tempo do que outros profissionais de SEO que não tem a mesma visão que você.

7. Não ficar preso por limitações técnicas e não ser enganado facilmente

“Ah, mas é só pedir que o desenvolvedor faz e pronto…”

Estamos falando de seres humanos certo? Tudo pode acontecer… Se um desenvolvedor não está disposto a resolver seu problema naquele momento sabendo que você não entende do assunto, pode facilmente criar empecilhos para evitar realizar tarefas simples e até mesmo cobrar valores altíssimos para executar funções simples e banais.

Além disso, uma vez entregue uma demanda, como você consegue avaliar se ela atende às expectativas ou se deve ser revisada?

E eu te pergunto, como você se defende desse tipo de situação sem os devidos conhecimentos?

8. Múltiplas fontes de dados

Nenhuma ferramenta oferece uma visão completa do seu negócio. Uma análise de dados avançada normalmente contém dados de fontes diferentes.

Você sempre precisará combinar dados de diferentes fontes para obter uma visão melhor de seu desempenho e fazer perguntas significativas sobre o negócio.

As ferramentas geralmente não “falam” umas com as outras, então você terá que fazer isso sozinho.

Sobre independência e flexibilidade

Geralmente quando essa discussão é levantada, muitos dizem que SEOs não tem que aprender a programar e que isso é inútil, pois grandes profissionais conseguem atingir grandes resultados sem conhecer programação e que graças a CMS’s como o WordPress e plugins de arquitetura como o  Elementor, qualquer um consegue construir sites inteiros e profissionais sem nem se deparar com 1 linha de código.

É importante entender que apesar de ser famoso, o wordpress representa somente 37% do market share mundial, seguido de 3% do Joomla e 2% de Drupal.

marketshare cms mundial wodpress

Fonte: Kinsta

Percebo que poucos param para refletir sobre isso, mas ainda existem sites que não estão dentro de grandes CMS famosas como WordPress, Drupal ou Joomla e que às vezes são desenvolvidos CMS customizados por agências que querem amarrar clientes ou empresas que possuem projetos antigos e mesmo que o ideal fosse realizar essa migração, pode acontecer de isso não ser possível, ou dos donos do negócio terem algum motivo para não o fazer.

O objetivo dessa informação é refletir sobre a seguinte questão: Como ser capaz de fazer SEO para esses diversos cenários?

Na maior parte dos casos, principalmente em sites de empresas pequenas, não se faz necessária a utilização de códigos avançados e nem nada do que foi mencionado nesse texto até agora, porém conforme os projetos vão crescendo, os desafios vão se tornando cada vez maiores, o nível de detalhes e possibilidades que surgem começam a se expandir e sempre será necessário um profissional que consiga lidar com essa expansão de maneira responsável para garantir que o projeto não irá desabar por erros fundamentais.

Saber programar não é obrigação de um SEO, é um diferencial.

Que fique bem claro, o objetivo maior do SEO não está em fazer linhas de código e ficar corrigindo problemas técnicos de programação, mas sim em trazer resultados para a sua companhia e/ou clientes.

Porém nem sempre será possível contratar desenvolvedores e uma equipe de B.I para te dar suporte e resolver quaisquer problemas técnicos que possam surgir. Existem diversas empresas de diversos tamanhos, com verbas diferentes e principalmente com problemas diferentes e complexos.

Sem dúvidas o conhecimento em programação ajuda o profissional não só de SEO, mas de qualquer área de marketing a se tornar mais independente, flexível e ter uma visão aprimorada da área.

O SEO não deve saber programar para ficar escrevendo linhas de código, mas deve entender como funcionam as linguagens e a lógica de programação para ter uma visão holística do cenário dos websites e se tornar mais independente além de agregar mais valor para si mesmo como profissional e para as empresas.

Imagem padrão
Alexandre Polselli
Especialista em SEO, Growth Marketing & Web Analytics
Artigos: 11