fazer seo exige adapatação camaleão verde em cima da mão

Porque você deve parar de fazer SEO

Me lembro claramente de um acontecimento que me marcou em meados de 2016 quando fui fazer alguns orçamentos de SEO com alguns profissionais que faziam anúncios em G.Ads dizendo “Como colocar seu site na primeira página do Google” pois precisava de mão de obra pontual para auxiliar em um grande projeto de SEO para uma multinacional. Meu objetivo ali era posicionar diversas páginas de um site e um dos profissionais dos quais eu havia entrado em contato me retornou dizendo que topava fazer o trabalho.

Entre telefonemas eu fiz diversas perguntas para entender qual era a metodologia que ele usava para poder otimizar e posicionar as páginas no Google e o que ele me explicou me chamou muita atenção, uma das técnicas que ele mais destacava era o simples fato de colocar “tags” ou palavras-chave no rodapé das páginas como se essa fosse a cereja do bolo.

Hoje em dia para profissionais de SEO falar isso pode parecer um absurdo, entretanto, por trabalhar diretamente com isso durante vários anos, ainda me deparo com diversos profissionais que cometem erros e praticam coisas que já não condizem mais com a realidade.

Talvez o maior problema que o SEO sofra nos dias de hoje é a forma que muitos profissionais ainda o enxergam por conta do seu histórico conturbado, o que criou um estigma de que SEO = Checklist de Otimizações.

O cenário já não é tão simples quanto “Vou escrever 3 artigos por semana, otimizar o site inteiro, estufar umas palavras-chave e em 3 meses vou estar dominando os mecanismos de busca”, a coisa ficou mais humana.

Se você chegar para qualquer atleta de musculação que possui aquele físico, saúde e disposição almejados por muitos e pergunta “Qual é o seu segredo para ter um corpo assim com tanta saúde?” na maioria dos casos vai receber uma resposta do tipo “Basta fazer uma dieta regrada todos os dias da semana, eliminar os Hambúrgueres, refrigerantes e sorvetes e praticar musculação regularmente”.

Há muitos indivíduos que vão enxergar isso da seguinte forma: “Ah isso vai dar muito trabalho, vou tentar da minha forma e adaptar de um jeito mais fácil” ou pior, começam a comprar livros e cursos que prometem o corpo dos sonhos em 21 dias, mas o tempo passa e não conseguem entender porque os resultados não chegam.

Isso ilustra muito bem o cenário de SEO atualmente, primeiro porque conforme os algoritmos vão ficando mais complexos e mais humanos, “fazer uma dieta” significa parar de produzir excesso e começar a produzir qualidade, segundo porque não existe mais “fórmula de 21 dias”, acredite, resultados orgânicos estão cada vez menos dependentes de fatores técnicos e cada vez mais com o objetivo de entregar experiências customizadas que ajudem de verdade seus usuários.

Devemos fazer a seguinte reflexão: Se todos estão aplicando os mesmos “truques” e “atalhos” de SEO, qual diferencial o Google vai escolher para ranquear sua  página nas SERPs?

O Google evoluiu muito (e continua evoluindo)

É natural que quem queira começar a trabalhar com SEO acabe trilhando o mesmo caminho comum que é buscar respostas no Google e encontrar vários artigos de blog diferentes falando sobre como você deve otimizar seu h1, entupir seu texto com palavras chave e fazer um monte de links que apontam para diversos sites diferentes.

Tudo bem, quem está começando precisa ter uma base mínima de como funciona / funcionava a parte técnica dos principais elementos que são lidos pelos robôs de pesquisa.

Apenas não se limite a isso, pois o maior problema de pensar dessa forma é que estamos esquecendo de fazer conteúdos para pessoas lerem e estamos fazendo conteúdos para robôs nos jogarem em posições maiores nas SERPs e eu te pergunto:

O que é mais importante, uma posição maior ou uma retenção e conversão maior?

Há anos o Google já vem anunciando e deixando bem claro que com a evolução da inteligência artificial e o machine learning, seus algoritmos estão se tornando cada vez mais complexos e consequentemente entendendo muito mais sobre contexto e experiência do usuário. Assim como um camaleão (thumbnail) você deve ter a capacidade de se adaptar às atualizações do Google, afinal você está trabalhando na plataforma deles.

Em seu Twitter, John Mueller, do Google, disse a alguns SEOs recentemente que eles se concentram demais em backlincks. Ele disse isso duas vezes dentro de um intervalo de algumas horas para diferentes profissionais de SEO no Twitter.

Google BERT e seu Update

Em 2018, a Google introduziu uma técnica baseada em rede neural para pré-treinamento em processamento de linguagem natural (PNL) chamada BERT que significa Bidirectional Encoder Representations from Transformers (Representações de Codificadores Bidirecionais de Transformers). Essa tecnologia permite que qualquer pessoa treine seu próprio sistema perguntas e respostas de última geração.

Esse avanço foi resultado da pesquisa do Google sobre transformadores: modelos que processam palavras e as comparam em relação a todas as outras palavras em uma determinada frase, em vez de uma por uma em ordem. Os modelos BERT podem, portanto, considerar o contexto completo de uma palavra observando as palavras que vêm antes e depois dela – o que altera os resultados das queryes de busca de forma significativa.

Agora em Outubro de 2019 foi anunciado o update do BERT. Veja no exemplo demonstrado pela Google que antes ao fazer uma pergunta do tipo “Você pode pegar remédios para alguém na farmácia?” você obtinha um artigo genérico como resposta, agora você obtém um resultado muito mais específico que realmente responde sua pergunta com o título “Um paciente pode enviar um amigo ou membro da família para pegar uma prescrição médica…?”

google bert pesquisa antes e depois farmacia
google bert pesquisa antes e depois da atualização

Conteúdo de Qualidade é Melhor que um Conteúdo Otimizado

Sabe quando você assiste aquele trailer de um filme que você estava esperando muito pra sair, e eles mostram todas aquelas cenas de ação e você fica com vontade de ir ao cinema o quanto antes porque parece que vai ser o melhor filme de todos os tempos?

O que acontece quando você termina de assistir o filme e no final das contas só fica pensando em como poderia ter gasto aquele dinheiro do ingresso em algum restaurante porque o filme foi péssimo?

Pois é, não adianta nada focar em atrair tanto a atenção das pessoas para entregar um conteúdo de péssima qualidade, pois sua marca vai sair prejudicada nessa história e vai perder cada vez mais credibilidade. Depois de algum tempo, não vai existir “Trailer” que te salve e atraia clientes para sua empresa.

Nesse sentido, alguns dos indicadores de experiência do usuário que você deve focar são o tempo que uma pessoa gasta na suas páginas, o número de páginas que ela visualiza e o quanto de conteúdo ela consome por página.

O que não deve ser feito

Veja bem, não é que técnicas de otimização que você ouve por ai como h1, título e links não tem nenhum efeito no seu site, você só não deve focar neles como se fossem uma garantia de resultado. Entregar um conteúdo em uma estrutura otimizada e de qualidade é mais que sua obrigação.

Algumas coisas que você deve considerar em não fazer na sua estratégia de SEO:

1. Focar em conseguir a maior quantidade de backlincks possível

Linkbuilding ainda é incrivelmente importante e continua sendo um dos principais fatores de classificação do Google. Antes, era verdade que tudo o que você precisava fazer era criar o maior número possível de links para o seu site e você começaria a ter uma classificação alta.

Mas, este não é mais o caso. A qualidade e a relevância dos seus links são muito mais importantes do que a quantidade e, portanto, fazer spam com links em sites e fóruns aleatórios não tem mais tanto impacto (e possivelmente pode até ter o efeito contrário).

Tente encontrar alguns sites com uma boa autoridade e relevantes para seu mercado é claro, onde você consiga divulgar e fazer algum tipo de acordo com eles como um guestpost por exemplo. Esses sites de autoridade tendem a ser distribuídos por sites “menores” e, portanto, você tem um alcance maior do que o esperado.

2. Ficar obcecado pelo tão desejado primeiro lugar

Eu entendo que é natural querer chegar ao primeiro lugar do Google, é disso que se trata fazer SEO certo? No entanto, o ranking número um não tem mais a mesma correlação de maior tráfego do site que costumava ter.

Os resultados de pesquisa de hoje são preenchidos com anúncios, rich-snippets e question boxes e pior ainda, com a evolução da influência do Schema alguns resultados que estão nas últimas posições ganham um espelho de destaque na primeira posição. Como resultado, os usuários entendem que precisam rolar um pouco para chegar ao material orgânico. Com isso em mente, em vez de ficar obcecado com o primeiro lugar, seu foco deve ser maximizar a taxa de cliques.

Sua taxa de cliques pode ser otimizada por meio de uma meta descrição e títulos que chamem atenção. Tente responder diretamente à pergunta feita pela sua palavra chave; isso aumentará a probabilidade de seu conteúdo ser escolhido para a caixa de snippets em destaque o que é bem legal.

4. Criar o maior número de páginas e posts possível

Na teoria faz sentido, pois quanto maior o número de conteúdos, maiores as chances de obter resultado não? Mas, na realidade, o Google não classifica o site como um todo, ele classifica as páginas de forma individual baseando-se nos mais de 200 fatores de ranqueamento que existem em relação à consulta que foi feita.

É importante saber que suas postagens podem ser classificadas para mais de uma única palavra-chave. Em alguns casos, um bom conteúdo pode ser classificado por centenas e milhares de palavras-chave diferentes e não somente aquela que você estava tentando ranquear.

Além disso, existe uma métrica chamada de Crawling Efficiency, a qual mede a eficiência de um site em ser rastreado pelo Google, quanto mais links de baixa qualidade desestruturados um site possui, mais baixa vai ser sua eficiência de rastreamento o que prejudica todos os conteúdos juntos.

Levando em consideração que a qualidade é o fator determinante para classificação nas buscas, quanto mais tempo seu for dedicado em produzir inúmeros artigos sem qualidade, naturalmente nenhum deles vai aparecer na primeira página, logo seu esforço foi em vão. Procure produzir uma quantidade inferior de artigos para garantir que cada um deles terá uma taxa maior de sucesso.

O que deve ser feito

Sabemos que o SEO muda o tempo todo, mas nos últimos 5 anos em que estive trabalhando com isso, pelo menos algumas coisas nunca pararam de funcionar para mim e que considero em todas as estratégias:

Entregue o que as pessoas querem

Encontre os termos que as pessoas estão usando para pesquisar seus produtos e fale sobre seus produtos ou serviços usando esses termos, sem exagerar.

Quem não é visto não é lembrado

Certifique-se de que os mecanismo de busca possam encontrar todas as páginas do seu site, ler todo o conteúdo necessário e entender sobre o que se trata sua página (ou seja, para quais palavras-chave deve ser classificada).

Entregue uma boa experiência

Corrija materiais quebrados no seu site, remova conteúdo duplicado e não faça com que as pessoas precisem esperar tanto tempo para conseguir visualizar seu conteúdo.

Certifique-se de ter uma boa experiência para os usuários quando eles acessarem o site: o conteúdo que eles veem é o que eles desejam. É isso que os mecanismos de pesquisa querem que aconteça e é assim que os usuários dão dinheiro a você.

Reforçando a necessidade de um bom conteúdo

Crie um conteúdo bom, interessante, relevante e inovador, projetado para envolver os usuários e incentivá-los a compartilhá-lo nas mídias sociais.

Recomendação de quem tem relevância

Crie links para o seu site a partir de outros sites com autoridade com os quais você compartilha um tópico ou público e crie relacionamentos com os sites que podem lhe render links mais de uma vez.

A moral da história

Assim como os atletas e praticantes de esportes, fazer as coisas da forma certa (geralmente mais difícil) pode não funcionar tão rápido, mas funcionará por mais tempo.

Toda vez que o Google lançar uma atualização para combater Black Hat e alterar a forma como o mecanismo funciona, milhares de sites que se baseiam em truques baratos de curto prazo precisam passar alguns meses consertando tudo e compensando as classificações perdidas.

Seja um camaleão e esteja acostumado a se adaptar à nova realidade dos mecanismos de busca, não fique preso à técnicas e truques obsoletos do passado.

Fazer SEO está se tornando cada vez menos importante. O Google seguiu os passos do Facebook e está tomando medidas sérias para gerar receita com suas pesquisas. Isso significa que, mesmo que você tenha uma boa classificação, ainda haverá concorrentes que irão se posicionar acima de você, não importa o que você faça.

No final das contas o melhor é garantir que tudo o que você tem em seu site seja de alta qualidade, que você tenha bons seguidores nas principais redes sociais e que tenha uma boa classificação em qualquer rede especializada que venda produtos semelhantes ao seu.

Isso será muito mais eficaz e muito mais provável que você tenha uma classificação alta do que passar um ano se esforçando para usar truques de SEO datados que todos os seus concorrentes fazem.

Foque nas pessoas e não nas máquinas.

Imagem padrão
Alexandre Polselli
Especialista em SEO, Growth Marketing & Web Analytics
Artigos: 11